Prestidigitação e ilusionismo: o que são?

Prestidigitação e Ilusionismo

Quem já assistiu a alguma apresentação de ilusionismo ao vivo com certeza ficou curioso a respeito dos truques utilizados pelo mágico durante o espetáculo. O que pouca gente sabe é que o leque de técnicas e conceitos utilizados é grande e complexo. Se você é iniciante na área, vamos explicar o que é prestidigitação e ilusionismo. Confira!

Qual é a definição de ilusionismo?

Em linhas gerais, o ilusionismo é a arte performática capaz de entreter um público por meio de truques. O grande objetivo de qualquer ilusionista é fazer sua plateia acreditar que o impossível ou o sobrenatural são reais. Para isso, são usados meios totalmente naturais, popularmente chamados de mágicas, ilusões ou efeitos.

Boa parte dos ilusionistas se recusa a revelar os métodos por trás dos seus truques. Porém, a performance de cada um pode ser classificada por especialidades ou gêneros. Os profissionais que conseguem manipular pequenos objetos com destreza são chamados de prestidigitadores. Você já conhecia esse termo?

O que é prestidigitação?

É chamado de prestidigitação o conjunto de técnicas utilizadas pelos ilusionistas para manipular objetos como cartas e moedas de forma invisível. Ele é exatamente o oposto do floreio, quando o mágico mostra intencionalmente suas habilidades manuais. No floreio, o ilusionismo se aproxima bastante do malabarismo.

Na maioria dos casos, uma grande habilidade em prestidigitação só é alcançada depois de muitos anos prática. Por isso, é necessário que o aspirante a ilusionista tenha paciência e se dedique bastante antes de se arriscar diante de uma plateia. Treinar a rapidez das mãos e dos dedos é o primeiro passo para quem deseja se tornar um bom prestidigitador.

A prestidigitação costuma ser adotada em close-up, ou seja, quando o truque é realizado perto do público. Muitas vezes, os ilusionistas chegam a utilizar objetos dos próprios membros da plateia para os seus truques. O princípio fundamental da prestidigitação é ser natural: um truque bem executado parece um simples gesto inocente.

A prestidigitação na história do ilusionismo

Truques que necessitam de prestidigitação são mais antigos do que você pode imaginar. Existem indícios de que os gregos antigos já conheciam o famoso truque dos três copos. Nesse período, ilusões do tipo eram vistas como uma manifestação dos deuses. Já na Idade Média, elas podiam ser consideradas bruxaria e, portanto, eram evitadas.

No início da Era Moderna, os ilusionistas voltaram a ganhar prestígio, especialmente nas cortes mais avançadas da época. O Rei Henrique VIII da Inglaterra, por exemplo, gostava de promover grandes espetáculos para impressionar a nobreza do país e para isso contava com trupes de teatro, músicos, poetas e ilusionistas.

Durante o século XVIII, o ilusionismo ganha contornos profissionais e fica mais parecido com o que conhecemos hoje. Grandes nomes como Harry Houdini e David Copperfield garantiram que essa arte não se perdesse com o passar do tempo e que plateias do mundo inteiro continuem a ser encantadas com truques milenares.

Qual é a importância de saber prestidigitação?

Para se tornar um grande ilusionista, você precisa ir além da simples memorização de alguns truques. É importante trabalhar sua expressão corporal e se movimentar com o máximo de precisão e confiança possíveis. Desenvolver habilidades de prestidigitação, portanto, é fundamental para quem deseja se dar com o ilusionismo.

Ainda que ilusionistas se utilizem de várias leis da física e tenham alguma ajuda da tecnologia para a execução de alguns truques, acredite: nada é capaz de substituir os movimentos ágeis do seu corpo, especialmente das suas mãos. Todo bom ilusionista consegue dar um show apenas com pequenos objetos do cotidiano e muita habilidade.

Você já tinha ouvido falar de prestidigitação? Quando vai começar a praticar? Conte para a gente nos comentários!

Metodologia Magicando

Mágica Grátis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *