O que é mágica close-up?

Mágica Close-Up

Você já viu um número de mágica close-up? Essa é a modalidade de mágica em que o ilusionista faz seus truques frente aos seus espectadores, não mais do que a três metros de distância.

Então, você pode se perguntar: “Como ele consegue fazer truques tão próximo da plateia? E se ele for desmascarado?”. A verdade é que um bom mágico de close-up tem que praticar os truques muito tempo antes de se apresentar em público. Isso é muito sério: mesmo os melhores mágicos, assim como qualquer profissional que prepara uma apresentação, treinam bastante até garantir que seus truques funcionarão. Afinal, a intenção é impressionar e convencer seu público.

A essência da mágica close-up

A essência da mágica close-up é diferente da mágica de palco, da mágica de salão e da mágica infantil, pois exige aproximação e interação. Nas apresentações, as pessoas irão interagir de alguma forma. O show é feito a poucos metrôs de distância e não conta com atrações de pirotecnia, pombas saindo de lenços ou coelhos surgindo da cartola. Os truques levam em consideração a proximidade com o espectador, que estará de olho na apresentação e precisa ser convencido e surpreendido.

O que acontece nessa modalidade mágica é que o ilusionista se apresenta normalmente em eventos para um grupo de pessoas que, geralmente, está sentado a uma mesa. Os materiais usados em mágica close-up podem ser dos mais variados: cartas, dominós, moedas, cordas, algemas e muito mais. Os truques se baseiam em sleight-of-hands (truques de mãos ou prestidigitação) e floreios. Ou seja, mágicos de close-up precisam ter uma habilidade extrema com as mãos para manipular os diversos objetos que podem ser usados em seus truques, com o intuito de iludir e enganar seus espectadores.

É possível que o mágico de close-up combine suas habilidades manuais com o que chamamos de micromentalismo; truques envolvendo telecinese, ESP (Extra Sensorial Perception) – em português, percepção extrassensorial; precognição e telepatia. E assim, os truques se tornam ainda mais misteriosos e interessantes.

Um ilusionista pode trabalhar com um ou dois assistentes, que irão dar mais veracidade às apresentações, uma vez que mesmo que as pessoas estejam “grudadas” no mágico, os truques ainda assim acontecem.

Alguns truques de mágica close-up

– Cartas que desaparecem da mão do mágico e reaparecem em outros lugares.

– Moedas que aparecem no bolso de algum espectador.

– Algemas que só se abrem quando estão nas mãos do mágico.

– Objetos que entortam com a “força mental” do mágico.

– Fósforos que “pulam” da caixinha para as mãos do mágico ou de algum espectador.

O número de truques possíveis é infinito. Um mágico de close-up pode ter um repertório vastíssimo e escolher quais truques apresentar para determinada plateia. Além disso, o ilusionista não deixa de ser um ator que interpreta o papel de mágico, então ele pode variar sua performance também por meio de sua atuação e de seus assistentes.

Ilusionistas de close-up são normalmente convidados para participar de coquetéis, jantares, eventos corporativos, etc. Independente do local de trabalho, o importante é manter o alto astral das pessoas. Essa também é a mágica essencial a ser feita.

Grandes nomes da mágica close-up

  1. Harry Houdini (1874-1926) saiu da Hungria para os EUA, aos 4 anos, com seus pais, para se tornar o mais famoso dos mágicos e criou truques que influenciaram gerações de ilusionistas, inclusive os de close-up.
  2. Dai Vernon (1894-1992) foi um ilusionista canadense, com especialidade em close-up, cujos truques Houdini não conseguiu explicar, por isso ficou conhecido como “o homem que enganou Houdini”.
  3. Doug Henning (1947-2000), também canadense, teve aulas com Dai Vernon, e chegou a se apresentar para Ronald Reagan e seus convidados na Casa Branca.
  4. Ed Marlo (1913-1991) era um ilusionista de Chicago. Excelente prestidigitador, seus números com cartas estão na memória de muitos espectadores. Referia-se a si mesmo como “cardician” (em português, algo como “cardista”). E assim passaram a serem conhecidos os mágicos especialistas em cartas após Ed Marlo.
  5. Johnny Ace Palmer (1960) é um mágico norte-americano que já ganhou diversos prêmios de mágica close-up. É famoso principalmente por sua habilidade no sleight-of-hands e tecnicamente ele é considerado impecável, desconcertante e divertido.
  6. David Blaine (1973-) mágico nova-iorquino que começou sua carreira nas ruas e é especialista em mágica close-up. É detentor de inúmeros recordes mundiais e um dos grandes nomes da mágica contemporânea.

 

Gostou do nosso post de hoje? Então, não deixe de visitar o Magicando!

Metodologia Magicando

Mágica Grátis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *